O princípio MECE

Artigo de Victor Cheng, traduzido por mim para o português do original publicado no site CaseInterview.com.

MECE (pronunciado “me see”) é um princípio usado por firmas de consultoria, como a McKinsey, para descrever uma forma de organizar informação que é “mutuamente exclusiva, coletivamente exaustiva”.

Ao considerar soluções para qualquer problema de negócio, como “quais as opções de crescimento pra esta empresa?”, “como podemos cortar custos?” ou “como podemos aumentar as vendas?”, o princípio MECE sugere que todas as causas possíveis ou opções a serem consideradas para resolver esses problemas sejam agrupadas e categorizadas de uma forma particular. Especificamente, toda a informação deve ser agrupada em categorias em que não há sobreposição entre elas (mutualmente exclusivas) e as categorias somadas cobrem todas as opções possíveis (coletivamente exaustivas).

Segue um exemplo de estrutura de agrupamento que não é MECE: agrupar clientes por seus hobbies. Não é MECE, pois um único cliente pode estar em mais de uma categoria de hobby.

Uma alternativa seria agrupar os clientes por grupo de idade. Isso é MECE porque nenhum indivíduo pode estar em mais de uma categoria (portanto, é mutuamente exclusivo), e os grupos de idade como um todo cobrem toda a população (então são coletivamente exaustivos).

A razão pela qual o MECE é popular em consultorias é que ele permite aos consultores comunicar informações complexas aos clientes, de uma forma que elimina confusão e garante que tudo foi contemplado.

O princípio MECE pode ser aplicado a grupos de itens relacionados (como clientes de faixas de idade diferentes), mas pode também ser usado para explicar um mecanismo em particular.

Por exemplo, “lucro = receita – custo” é um framework MECE. Ele comunica de forma simples que, para aumentar lucros, uma das coisas deve ocorrer: receitas devem aumentar ou custos devem diminuir. Os componentes da categoria “receitas” (tipicamente, preços e quantidade de vendas) NÃO aparecem na categoria “custos” (e vice versa). Isso passa na parte “mutuamente exclusiva” do teste. Além disso, se você combinar todos os fatores (receitas e custos), terá a explicação de uma mudança nos lucros. Nenhum outro fator faltará. Então, essa categorização é considerada “coletivamente exaustiva” (a parte CE do MECE).

Você pode quebrar receitas em seus próprios componentes MECE com a fórmula “receita = preço x unidades vendidas”. Isso também é simples o suficiente pra maioria das pessoas. Usando esta abordagem para desmembrar uma métrica financeira em componentes fáceis de entender, que também são MECE, faz com que seja fácil enxergar quais “alavancas” podem ser usadas para influenciar as métricas financeiras que você está tentando melhorar.

O princípio MECE também pode ser aplicado a dados conceituais, não apenas para dados numéricos.

Por exemplo, se um cliente perguntar “devo entrar no mercado XYZ?” você pode dizer que há dois fatores possíveis a ser considerados para analisar essa decisão:

  1. fatores financeiros
  2. fatores não-financeiros

Qualquer razão possível, contra ou a favor dessa decisão, pode ser agrupada em “fatores financeiros” ou “fatores não-financeiros”. De forma geral, itens que são financeiros por natureza, não podem aparecer na categoria “não-financeiros” (e vice-versa). Portanto a estrutura de categorização é mutuamente exclusiva. Além disso, se você combinar TODAS as razões financeiras e não-financeiras, não pode haver outra razão pela qual entrar no mercado XYZ é uma idéia boa ou ruim. Como todas as categorias juntas cobrem TODOS os fatores possíveis a ser considerados, pode-se dizer que a estrutura também é coletivamente exaustiva. Então, a estrutura é MECE.

Quando você aprende a pensar de uma forma MECE, pode também aplicá-lo em qualquer decisão da sua vida pessoal.

Por exemplo: com você estruturaria as seguintes decisões pessoais de uma forma MECE?

  • Devo me casar agora?
  • Devo ir para o Havaí nas minhas férias?
  • Devo entrar em Harvard ou Stanford?

Todos os fatores a serem considerados nessas decisões podem ser agrupados numa estrutura MECE.

O livro definitivo sobre esse assunto é o Pyramid Principle de Barbara Minto. Ele descreve uma abordagem para comunicação de idéias complexas de forma fácil de entender. O próprio livro é baseado nos princípios MECE, e foi recomendado e usado por várias pessoas enquanto eu estava na McKinsey. (Obs.: é um livro caro, de 150 dólares.)

Publicado em 29/04/2016

Comentários

Obrigatório, mas não será exibido no comentário
Opcional
Somente marcação Textile