Um framework para design de experiência: Why, What, How

RJ Owen, num artigo para o site InsideRIA, define um framework que dividide a visão de um produto interativo em três partes: Why, What, How (Porquê, O Quê, Como).

  • O Porquê se refere ao contexto: modelo mental do usuário, seus objetivos, ambiente de uso;
  • O Quê é o conteúdo, a informação que deve ser transmitida, os dados; e
  • Como é referente à mecânica do processo, os elementos físicos e digitais com os quais a pessoa interage diretamente.

Esses elementos têm uma dependência hierárquica: se você não compreende o Porquê, é impossível definir corretamente O Quê será oferecido como conteúdo ou funcionalidade ao usuário. Da mesma forma, antes de saber O Quê, não se pode estabelecer Como será a interação.

Nessa linha, o autor faz uma crítica pertinente ao conceito estabelecido na web, que diz que “o conteúdo é rei” quando, na realidade, dentro desse framework, o rei seria o Porquê.

Fica evidente a semelhança com os elementos da experiência do usuário, de Garret: Porquê é equivalente ao primeiro nível (necessidades do usuário e objetivos do negócio), O Quê é análogo ao segundo nível (funcionalidades e conteúdo) e Como representa os níveis seguintes (design de interação / AI, design de interface e design visual).

O que percebo é que, muitas vezes, os clientes não têm uma visão clara do Porquê de seu produto ou serviço, mas procuram consultoria profissional com a intenção de melhorar o arranjo e o funcionamento da interface (Como). Mas, claro, isso é compreensível e o nosso dever é esclarecê-los.

Via InfoDesign.

Publicado em 12/06/2010